2009/06/14

Copa das Confederações – África do Sul 2009

Cobertura Experimental – Link Exclusivo com vídeos, fotos e textos

BRASIL É CAMPEÃO DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES


Quando terminou o primeiro tempo da final da Copa das Confederações, entre Brasil e EUA, o torcedor brasileiro deve ter pensado na eliminação precoce da Itália na primeira fase e na eliminação da Espanha nas semifinais contra os norte-americanos. Naturalmente, muitos imaginaram que uma nova zebra estava por vir. Isso porque com gols de Dempsey e Donovan, a seleção norte-americana foi para o intervalo vencendo o Brasil por 2 a 0. E apesar do placar, a seleção brasileira não estava jogando mal. Teve várias oportunidades, tinha volume de jogo, mas esbarrava na grande atuação do goleiro americano, e além disso, a sorte parecia estar do lado americano… mas só parecia…

Logo no início da segunda etapa começou a reação brasileira, com um gol de Luis Fabiano aos 45 segundos. A partir daí, a pressão foi muito grande do Brasil. As oportunidades surgiam, e a bola teimava em não entrar. Mas aos 28 minutos, numa jogada de Kaká, Luis Fabiano empatou a partida. Depois disso, a seleção da terra do Tio Sam já nitidamente cansada, tentava levar o jogo para a prorrogação, mas aos 38, em um escanteio cobrado por Elano, o zagueiro Lúcio, de cabeça, fez o gol do título brasileiro. O gol do tricampeonato do Brasil na Copa das Confederações.

Alguns dados mostram a superioridade e a bela campanha do Brasil nessa competição, que serve como teste para a Copa do Mundo do próximo ano. A seleção brasileira teve 5 vitórias em 5 jogos, o melhor ataque da competição, com 14 gols marcados, o artilheiro do campeonato, Luis Fabiano, com 5 gols. O melhor jogador da competição, eleito pela Fifa, Kaká. Enfim, esses são apenas alguns dados que mostram o quão justa foi a conquista brasileira na África do Sul.

Depois desse título, atrelado as 8 vitórias consecutivas da seleção brasileira, parece que o técnico Dunga começar a ganhar força e respeito com os brasileiros. Embora muito contestado ainda, ele apresenta números invejáveis até o momento. Campeão da Copa América e Campeão da Copa das Confederações, líder das Eliminatórias e virtual classificado para a Copa de 2010. Enfim, são números que dão força ao treinador. A seleção, apesar de algumas deficiências, começa a mostrar um bom futebol e que pode trazer alegrias em 2010 para os brasileiros.

Para finalizar sobre a Copa das Confederações, não podemos nos esquecer de enaltecermos a grande festa proporcionada pelos africanos que derão um show nas arquibancadas, apesar das polêmicas cornetas. E ao torcedor brasileiro, fica a esperança de ver no ano que vem o Brasil jogando esse bom futebol, e levantando a taça na África do Sul novamente, dessa vez a da Copa do Mundo.

Jogadores fazem a festa e comemoram o título da Copa das Confederações 2009
Jogadores fazem a festa e comemoram o título da Copa das Confederações 2009

NO SUFOCO…

42 minutos do segundo tempo, partida empatada em 0 a 0, jogo se encaminhando para a prorrogação, poucas oportunidades, a seleção africana dando muito trabalho, quando de repente… falta para o Brasil próximo à área da África do Sul. Era a grande chance. Daniel Alves que acabara de entrar praticamente, pega a bola, e acerta um lindo chute. Gol do Brasil, e classificação confirmada com um placar magro, mas importante de 1 a 0, que leva a seleção brasileira para a final da Copa das Confederações, contra os EUA, no domingo.

A classificação brasileira para a final da competição não ocorreu como a maioria imaginava. Foi conquistada com muita luta e muita vontade. A aplicação tática dos africanos deve ser ressaltada. Os comandados de Joel Santana fizeram uma grande partida, e não seria nenhuma injustiça se tivessem conseguido a vaga para a final. Os anfitriões levaram perigo ao gol de Júlio César, especialmente em uma cabeçada do zagueiro Mokoena no primeiro tempo, e num chute do meia Modise na segunda etapa. Fora isso, os bafana bafana tiveram bastante posse de bola, e levaram perigo ao gol brasileiro, principalmente em chutes de fora da área. Enfim, Joel Santana e seus jogadores merecem elogios pela grande partida que fizeram, se é que isso serve de consolo…

Pelo lado do Brasil, alguns jogadores tiveram atuação abaixo do esperado, principalmente o atacante Robinho. O que deve ser destacado na seleção de Dunga, é a seriedade que essa equipe tem com relação a marcação. Mais uma vez, uma atuação perfeita do sistema defensivo brasileiro. A paciência na troca de passes também foi importante. Os contra-ataques, principal arma do Brasil nos últimos jogos, nessa partida não aconteceram como de costume. Outro ponto que não pode passar despercebido é a sorte de Dunga. Super contestado por muitos, o comandante brasileiro mais uma vez mostrou ter estrela. Ele colocou Daniel Alves, improvisado na lateral esquerda no lugar de Ándre Santos, aos 36 do segundo tempo, e aos 42 ele fez o gol da classificação. Pode se contestar muita coisa no trabalho de Dunga, menos a sorte dele…

A seleção brasileira chega a mais uma decisão de Copa das Confederações, com uma campanha perfeita: 4 vitórias em 4 jogos. No domingo, às 15:30h (horário de Brasília), o Brasil tentará o tricampeonato dessa competição. O jogo será contra a seleção norte-americana, que surpreendeu muita gente, e fará sua primeira decisão de Copa das Confederações.

Daniel Alves comemora o seu gol de falta, que deu a classificação ao Brasil para a final da Copa das Confederações

Daniel Alves comemora o seu gol de falta, que deu a classificação ao Brasil para a final da Copa das Confederações

O futebol é mágico ou era só a Espanha em campo?

Lula e a derrota espanhola estampam a home do El País

Lula e a derrota espanhola estampam a home do El País

Em 1986, Bélgica nas quartas, 1994 Itália, 1998 Nigéria, 2002 Coréia e na última Copa, depois de uma primeira fase brilhante e 100% de aproveitamento, nova derrota, desta vez para Zidane e cia. Há uma máxima no jornalismo esportivo espanhol que diz: “Jogamos como nunca, perdemos como sempre”! A triste constatação que há anos estampam os jornais nos dias seguintes às falhas da Fúria, estava um pouco difícil de acontecer desta vez. Todavia, a Espanha parece jogar finais como se estivesse na quadra central de Roland Garros, a diferença é que, geralmente, os espanhóis do tênis são mais bravos!

Sinceramente, poucos criam na derrota espanhola, ainda mais os próprios. A final já era dada como um encontro da nova força – Espanha, e a grande força – Brasil, porém quem acabou triunfando foi o time de Obama. O “cara” parece ter dado sorte à equipe pragmática dos Estados Unidos que começou como saco de pancadas dos tradicionais italianos e dos respeitáveis brazucas e agora, estão não só na final, mas se tornaram uma icógnita – ganharam as semifinais ou a Espanha perdeu, como sempre?

Num passe de mágica, como a própria eleição do primeiro presidente negro, os estadunidenses da bola surgiram, não só para o mundo, mas também para o próprio país. Com dica de Thiago Stephan, vemos a notícia do triunfo americano estampando a primeira página do The New York Times na web. Será um sinal da crise ou uma mera falta de assuntos? Quem sabe o Tio Sam com nova administração olha agora, com melhores vistas ao esporte mais popular do mundo. Entretanto, é bem provável que o fato seja mesmo um alento internacional depois de fracassos na diplomacia e mesmo no âmbito esportivo. Já nas Olimpíadas de Atenas, a supremacia americana tinha sido desafiada com apenas 4 ouros de diferença para a China, que massacrou em Pequim 2008 com nada menos que 15 ouros de diferença para os Yankes.

nytimes

Triunfo no "soccer" ganha destaque

Sendo assim, Brasil vs África do Sul, por mais previsível que seja, pode também ser mais um desastre da lógica futebolística. Joel Santana, ridicularizado injustamente pelo inglês  brasileiro, recuperou com maestria o Flamengo em 2005 e em 2007. Dizem que suas preleições são altamente emotivas e a barreira linguistica, por mais que neguem os puristas, é também uma limitação à sensibilidade. Em uma pronúncia sincera, seus comandados devem sentir um pouquinho da garra e da raça brasileira. E é bem provável que sejam os bafana-bafana um tipo social e genético (assim como, Obama) que conseguem compreender, mesmo que em silêncio, a raridade da emoção brasileira.

SEMIFINAIS DEFINIDAS

Nesse final de semana foram definidos os semifinalistas da Copa das Confederações 2009. A grande surpresa ficou por conta da eliminação da atual campeã mundial, Itália, que perdeu para o Brasil por 3 a 0 e caiu na primeira fase da competição. No grupo A, nenhuma surpresa. Espanha e África do Sul se classificaram. A fúria conseguiu 3 vitórias em 3 jogos e garantiu o primeiro lugar. Já a seleção anfitriã sofreu um pouquinho. Com a derrota por 2 a 0 na última rodada para a Espanha, a seleção de Joel Santana contou com a ajuda da Nova Zelândia que segurou o empate contra o Iraque, e colocou os “bafana bafana” (como a África do Sul é conhecida no país) na semifinal.

No grupo B, o Brasil fez uma grande primeira fase e garantiu o primeiro lugar com 3 vitórias. A última conquistada neste domingo contra a Itália, por 3 a 0, teve um grande destaque. Primeiro por se tratar de um clássico do futebol mundial, e depois pela qualidade do futebol apresentado pela seleção brasileira. Um futebol envolvente, contra-ataques perfeitos, defesa segura… enfim, um futebol digno de seleção brasileira. Por outro lado, a seleção italiana foi a grande decepção da primeira fase. Os atuais campeões mundiais demonstraram muita fragilidade no jogo contra o Brasil, principalmente no setor defensivo. Além disso, ao longo da competição, a seleção comandada por Marcelo Lippi não conseguiu mostrar um bom futebol. Nomes como Francesco Totti e Del Piero (apesar de já veteranos) e a jovem revelação da Juventus, o meia Giovinco, parece que fizeram falta na seleção italiana. A grande surpresa dessa última rodada da 1ª fase

Seleção brasileira vem demonstrando um belo futebol nessa Copa das Confederações

Seleção brasileira vem demonstrando um belo futebol nessa Copa das Confederações

ficou por conta da classificação inesperada e heróica da seleção norte-americana. Os norte-americanos precisavam vencer o Egito por 3 a 0, e torcer para o Brasil vencer a Itália pelo mesmo placar. E foi o que aconteceu.

Dessa forma, as semifinais estão definidas. Na próxima quarta-feira, jogam ESPANHA X EUA. E na quinta-feira é a vez do duelo de Joel Santana x Dunga, ÁFRICA DO SUL X BRASIL. Dizer que Brasil e Espanha são grandes favoritos a disputarem a final é algo óbvio, mas o futebol as vezes traz algumas surpresas… a Itália que o diga… portanto, Brasil e Espanha terão de jogar muito para poderem decidir o título no próximo domingo.

Atacante David Villa é uma das principais armas da Espanha para conquistar o título da competição

Atacante David Villa é uma das principais armas da Espanha para conquistar o título da competição

Decisões à vista

A última rodada da primeira fase da Copa das Confederações promete fortes emoções para esse próximo final de semana. Das oito seleções que disputam a competição, uma já está classificada para a semifinal (a Espanha), e uma eliminada (a Nova Zelândia). As outras seis seleções lutam pelas 3 vagas que restam para as semifinais. As 4 partidas serão decisivas.

No grupo A, que terá a sua rodada final sendo disputada no sábado, teremos o jogo entre a seleção da casa, África do Sul, de Joel Santana, contra a sensação do momento, a Espanha. No outro jogo, Iraque e Nova Zelândia se enfrentam. E nesse grupo a história é a seguinte: a Espanha lidera com 6 pontos, e já está classificada. A África do Sul tem 4 pontos, e está em segundo lugar. O Iraque com 1 ponto ainda sonha com a vaga. E a Nova Zelândia, sem ponto marcado, apenas cumpre tabela. Portanto, África do Sul e Iraque lutam pela última vaga. Aos anfitriões basta um empate com a Fúria espanhola. Para os iraquianos, o negócio é vencer a Nova Zelândia, e torcer por uma derrota africana.

Já no grupo B a história é bem diferente. As 4 equipes brigam pela vaga. A classificação de momento é o seguinte: Brasil, 6 pontos; Itália, 3; Egito, 3; e Estados Unidos, 0. Matematicamente, todos lutam pela vaga nas semifinais. Os jogos que acontecem no domingo, serão: Brasil x Itália e Eua x Egito. O Brasil tem a situação mais tranquila. Para classificar, basta um empate ou até mesmo uma derrota por 1 gol de diferença. Aos italianos e aos egípicios, o negócio é vencer e decidir no saldo de gols depois (no momento, o saldo da Itália é um pouco melhor. A Itália tem saldo 1, e o Egito saldo 0). Por incrivel que pareça, até mesmo a seleção norte-americana tem chances de classificação, mas depende de um milagre. Precisa golear o Egito e torcer para o Brasil golear a Itália. Enfim, são muitas as possibilidades nesse grupo B, que é o mais equilibrado.

Como se pode perceber, as emoções serão fortes nesse final de semana na África do Sul. Certamente, teremos 4 partidas emocionantes.

Seleção do Egito, uma grata surpresa dessa Copa das Confederações

Seleção do Egito, uma grata surpresa dessa Copa das Confederações

Confira a 2ª Rodada